O que é reserva de emergência e como construir a sua

Banner Localiza

Você já precisou gastar mais do que tinha planejado? Seja porque o carro estragou, porque teve alguma questão de saúde, ou ainda, por causa da chegada de um novo integrante na família, imprevistos acontecem. Por isso, é essencial se preparar para esses gastos inesperados construindo uma reserva de emergência. 

Afinal, você já se perguntou por quanto tempo você conseguiria se manter caso fosse demitido hoje? Pois é, muitas vezes não pensamos em situações como essa mas, infelizmente, elas existem.

Então, descubra aqui o que é uma reserva de emergência e qual o passo a passo completo para você construir a sua.

O que é reserva de emergência?

reserva de emergencia

Como o próprio nome já diz, reserva de emergência é um valor que você deve ter disponível para imprevistos. Esse fundo é essencial para todas as pessoas.

Afinal, nunca sabemos quando vamos nos deparar com algum gasto inesperado. E, nesses momentos, ter um “pé de meia” garante qualidade de vida e tranquilidade.

Por exemplo, vamos supor que você tenha um emprego no setor privado, filhos na idade escolar, está pagando um financiamento imobiliário, além de todas as contas da casa, como luz, telefone, água e internet.

Caso fique desempregado, toda a estabilidade da sua família é prejudicada. Dessa forma, para evitar complicações, é importante ter se preparado com antecedência.

Quem não se planeja acaba recorrendo a empréstimos. No entanto, isso representa assumir uma dívida, que tem cobrança de juros. O que pode gerar alto endividamento e problemas ainda maiores no futuro.

Para entender mais sobre um orçamento saudável e como evitar o endividamento, confira os conteúdos abaixo:

Por que eu preciso de uma reserva de emergência? 

Bem, ao contrário do que muita gente pensa, a reserva de emergência não serve somente para momentos de crise. Claro, ela ajuda nessas situações mas, além disso, a reserva também é importante para que você não perca boas oportunidades.

Veja o caso da Andrea, ela foi promovida e conseguiu um cargo melhor em outra cidade. Apesar disso, para conseguir aceitar o emprego ela vai precisar arcar com os custos da mudança. Caso ela tivesse uma reserva de emergência isso não seria um problema. 

Quando devo usar a reserva financeira?

É preciso ser disciplinado, pois, como evidencia o nome, o fundo de emergência é voltado para eventualidades. Veja algumas situações em que ela pode ser usada:

  • Problema de saúde inesperado: internação, gastos com remédios que não eram previstos.
  • Recuperar os danos de algum acidente doméstico, como incêndio, infiltração…
  • Desemprego, que diminui o nível de renda.
  • Novo membro na família e custos associados a um filho não planejado.
  • Mudança de cidade ou viagem para aproveitar uma oportunidade interessante!

Como fazer sua reserva de emergência?

Para montar uma reserva de emergência é preciso fazer um planejamento. Isso porque o valor do fundo de emergência depende dos seus gastos, de qual é a sua profissão, de quantos dependentes você tem. 

Além disso, é preciso que você coloque na ponta do lápis o que, de fato, consegue economizar por mês. 

Para facilitar, confira nosso passo a passo: 

1. Em primeiro lugar, saiba qual o seu custo de vida

Foto de uma calculadora com uma planilha de gastos

Assim, anote todos os gastos:

  • contas de água, luz, telefone etc.;
  • parcelas de financiamentos;
  • mensalidade escolar do filho;
  • supermercado;
  • plano de saúde;
  • combustível;
  • cartão de crédito.

Não se esqueça de nada! É comum que, ao fazer planejamentos financeiros, as pessoas subestimem seus gastos reais.

Ainda, deixar uma pequena margem de folga para custos adicionais também é interessante. Então, vale adicionar um acréscimo de segurança. E não se esqueça de IPTU, IPVA… Esses são gastos recorrentes e devem ser levados em conta.

Anotados os gastos, você já tem a primeira etapa do planejamento para sua reserva. A partir de quanto você gasta mensalmente será feita a estimativa do fundo de emergência.

2. Multiplique o valor dos seus gastos 

Vamos supor que Eduarda fez todas as contas e concluiu que têm um gasto mensal de R$3.500. Uma boa reserva varia de, pelo menos, 3 a 12 meses de gastos cobertos. Dessa forma, a reserva indicada para Eduarda pode ser de R$10.500 a R$42.000.

No geral, a “regra” era que a reserva de emergência correspondesse de 3 a 6 meses de gastos cobertos. Mas, principalmente com a pandemia, a recomendação passou a ser de 3 a 12 meses. 

3. Estipulado o valor, é hora de economizar

Agora que você já sabe seus gastos, é preciso que você tenha noção da sua renda. Dela quanto é possível economizar mensalmente para compor sua reserva de emergência? Trace uma meta realista e poupe todos os meses.

À frente no texto, serão apresentados os investimentos mais indicados para você aplicar sua reserva financeira. Afinal, além de economizar, desejamos que esse dinheiro tenha rentabilidade.

Poupar dinheiro é importante para várias finalidades, e não só para a reserva de emergência. Veja mais dicas de como começar a economizar.

Conheça cursos de planejamento financeiro

Qual o valor ideal da reserva de emergência?

Em geral, educadores financeiros recomendam de 3 a 12 meses do seu custo de vida. Veja detalhes abaixo de quantos meses você precisa.

Para quem tem mais estabilidade de renda: funcionários públicos, mais jovens…

Uma das categorias com mais estabilidade financeira é a dos funcionários públicos. Para esse grupo, o economista Frederico Torres recomenda fundos de emergência a partir de 3 meses de custos fixos. Porém, é interessante pensar em valores de pelo menos 6 meses.

Confira grupos que têm maior estabilidade ou flexibilidade:

  • Funcionários públicos.
  • Quem tem menos dependentes de renda.
  • Pessoas mais jovens, que são mais adaptáveis ao mercado de trabalho.
  • Aqueles que têm algum pagamento garantido, como uma aposentadoria INSS.

Para quem tem mais instabilidade de renda: empreendedores, trabalhadores de empresas privadas

Para o segundo grupo, são recomendadas reservas financeiras de 9 a 12 meses de custos. Confira se você está nele:

  • trabalhadores de empresas privadas, empreendedores, autônomos;
  • pessoas que têm mais dependentes de renda;
  • pessoas mais velhas, que têm menos adaptabilidade no mercado de trabalho.

Reserva de emergência: onde investir?

Pronto! Agora você já sabe todos os passos para definir o valor do seu fundo de emergência. Portanto, é hora de investir esse dinheiro.

A reserva financeira deve ser investida em uma aplicação com alta liquidez. Isto é, você precisa ter a possibilidade de sacar o dinheiro a qualquer momento, com facilidade.

Por esse motivo, uma reserva de emergência não deve, jamais, estar em um investimento de renda fixa com resgate de longo prazo.

Além disso, a aplicação deve ter baixa volatilidade. Isso significa que o rendimento não pode oscilar muito. Por esse motivo, fundos de ações e multimercado (renda variável) também NÃO são recomendados.

Afinal, é essencial que você saiba o quanto terá guardado na hora que precisar utilizar.

Imagine que você colocou o dinheiro em ações e elas estão em baixa! É possível que você tenha que sacar o dinheiro com prejuízo. Portanto, não utilize essa modalidade de investimento para reserva de emergência.

Dadas essas características (liquidez e volatilidade), muitas pessoas pensam na Caderneta de Poupança como a principal opção. Porém, aí entra um terceiro ponto importante: rentabilidade.

A Poupança é uma opção segura, mas rende muito pouco. Conheça soluções mais indicadas:

Ainda assim, é preciso avaliar a rentabilidade de todos eles. E, no caso dos fundos, é preciso ficar de olho na Taxa de Administração.

O Educando seu Bolso oferece um Simulador de Investimentos em Renda Fixa. Nele, você preenche algumas informações e descobre a aplicação mais indicada para você! Não deixe de conferir.

SIMULAR INVESTIMENTO EM RENDA FIXA

Conclusão: construir uma reserva de emergência vale a pena?

Sim! Construir uma reserva de emergência vale muito a pena. Afinal, ter uma reserva financeira pode fornecer segurança e tranquilidade em situações inesperadas, como despesas médicas inesperadas, perda de emprego ou outras emergências.

Isso ajuda a evitar o endividamento e permite enfrentar desafios financeiros sem comprometer o equilíbrio financeiro geral. Portanto, a construção de uma reserva de emergência é uma prática financeira sólida e recomendada.

E você sabia que você pode montar sua reserva de emrgência a partir do seu próprio smartphone?! Atualmente, as contas digitais gratuitas já oferecem diversas opções de investimentos que podem ser usados para montar sua reserva financeira. Para isso, basta lembrar das nossas dicas e optar por investimentos que tenham todas as seguintes características:

  1. Investimentos de renda fixa (como CDBs, tesouro direto, LCI, LCA);
  2. Liquidez
  3. Baixa volatilidade.

Para saber qual a melhor conta digital para você confira nosso ranking de contas digitais e nosso simulador gratuito

SIMULAR QUAL A MELHOR CONTA DIGITAL

Ainda está com dúvidas? Comenta aí embaixo!

Também achamos que você vai se interessar:

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top